Já há algum tempo que ansiávamos por um passeio para ver neve e que melhor sítio para o fazer em Portugal do que a Serra da Estrela. Foi um voucher de alojamento a um preço apetecível que nos ajudou a decidir reservar um fim-de-semana de janeiro para partir em busca da neve do maciço central da mais alta serra de Portugal continental.

Alguns compromissos profissionais levaram-nos a sair de casa mais tarde do que é habitual, mas com a mesma vontade de explorar coisas novas. A busca por outro tipo de “neve” levou a que nossa primeira paragem fosse no Bar 21  em Penacova para comer uma nevada (saiba aqui tudo sobre este doce típico regional). Mal sabíamos nós que o manto branco que cobre este bolo seria o maior nevão que veríamos por estes dias.

01 (Small)

A nossa viagem continuou até ao Vale do Rossim (Penhas Douradas) onde chegámos ao início da noite. Ficámos alojados no Vale do Rossim Eco Resort, onde fomos recebidos com um belíssimo licor de zimbro que ajudou a aquecer o coração para a noite fria que se avizinhava. Neve nem vê-la, mas ainda tínhamos alguma esperança que a noite nos trouxesse alguma surpresa. Ficámos alojados num Yurt, uma das várias tendas mongóis com aquecimento a lenha que preenchem este resort, que no verão se transforma também em parque de campismo. Para o jantar fizemos um piquenique à lareira com alguma das iguarias que tínhamos preparado para a nossa viagem, das quais faziam parte estes deliciosos hambúrgueres.

02 (Small)

Depois de um acordar preguiçoso e de um pequeno almoço reconfortante no resort, explorámos os vários recantos do Vale do Rossim. Respirámos o ar fresco e puro da montanha enquanto passeámos em redor do lago artificial criado pela barragem aqui construída em 1956, mas que aparenta sempre aqui ter estado.

05 (Small)

Do Vale do Rossim seguimos a estrada nacional 232 até à aldeia do Sabugueiro, continuando depois para a Torre, o local mais alto de Portugal continental e que acaba por ser um lugar cliché de qualquer visita à Serra da Estrela. Este acabou por ser o único sítio onde conseguimos ter um vislumbre da neve, mas que acabou por não ser muita como se pode ver pela fotografia.

07 (Small).jpg

Com o aproximar da hora de almoço, era tempo de partir novamente. Desta vez em direção a Melo, a aldeia do concelho de Gouveia e também a terra natal do escritor Virgílio Ferreira, em busca do restaurante onde tínhamos decidido almoçar.

09 (Small).jpg

Regressámos assim à estrada de montanha e seguimos calmamente, aproveitando a paisagem e parando ocasionalmente para apreciar as vistas ou para beber água nas várias nascentes naturais que se encontram a ao percorrer a N232 em direção a Gouveia. Como a fome já era muita ignorámos a cidade de Gouveia, onde teríamos a oportunidade de voltar durante a tarde, rumando diretamente para o restaurante Fonte dos Namorados.

Este restaurante tem sido um dos pontos obrigatórios de muitos dos meus passeios pela Serra da Estrela nos últimos anos.

Para a Diana era a primeira vez e penso que ela ficou fã da simplicidade, atendimento simpático e das maravilhas culinárias que nos são oferecidos usando os melhores ingredientes que a Serra tem.

O queijo de ovelha amanteigado, as moelas na telha com enchidos regionais, o cabrito, o javali, o requeijão com doce de abóbora, a mesa com as sobremesas regionais, o licor de ginga e a aguardente de zimbro são alguns dos produtos fantásticos que sempre nos reconfortam quando passamos por aqui.

Depois de um almoço tardio, não tínhamos grandes planos para a tarde pelo que o resto do dia foi pensado de improviso.  Apesar de já ter estado em Melo algumas vezes não conhecia ainda o Paço de Melo. Este edifício abandonado com origens no séc. XIII, conta com mais de 7 séculos de história e algumas características arquitetónicas bastante curiosas.

12 (Small)

Pensámos depois em passear um pouco por Gouveia ali ao lado. A Diana lembrou-se que em Gouveia existia o Museu da Miniatura Automóvel e foi para lá que nos dirigimos. O museu foi fácil de encontrar e possui milhares de miniaturas automóveis de todos os tipos. Gostámos particularmente da secção com as miniaturas dos carros de pessoas ilustres.

13 (Small)

Junto a este museu visitámos também o Espaço Arte e Memória, onde se podem encontrar vários objetos que retratam o património histórico de Gouveia. Ao contrário do Museu da Miniatura Automóvel a visita ao Espaço Arte e Memória é gratuita, ainda que a informação disponível sobre as peças expostas não seja muita, tem algumas peças curiosas. Ambos os espaços ficam enquadrados junto ao Jardim do Peixotão. O próximo passo foi deambular por este curioso jardim que possui inúmeras placas com poesia.

18 (Small)

E o nosso passeio pela Serra da Estrela terminou com o belíssimo pôr-do-sol no topo do Jardim do Peixotão, tendo como fundo Gouveia. Ficámos com vontade de voltar a Gouveia e explorar um pouco mais. Mesmo sem direito a neve, a principal razão que nos tinha levado a subir à Serra da Estrela, esta acabou por se tornar uma excelente escapadinha.

19 (Small)

Ao adquirir serviços através das ligações abaixo, não terá qualquer custo adicional e estará a ajudar o explorandar a crescer: Alojamento Booking | Alojamento Airbnb. Obrigado!