Esta nossa segunda sugestão de roteiro passa pela zona central sul da Ilha de S. Miguel, nos Açores, começando pela zona da costa, passando pelo Parque Terra Nostra e terminando na zona das Furnas.

Neste dia decidimos começar o nosso passeio pelo Miradouro do Pisão, de onde se tem uma bela vista para a Caloura e as suas piscinas naturais, mar adentro.

Depois descemos até à aldeia, para apreciar de perto o seu pequeno porto, junto às piscinas. Aproveitámos também para nos sentar numa esplanada e comer uma deliciosa queijada de feijão.

Da Caloura seguimos para Vila Franca do Campo, ali perto. Passámos pelo centro da vila de carro e subimos logo até ao Monte onde está a Ermida de Nossa Senhora da Paz, do século XVIII.

Deste monte tem-se uma vista fantástica para a costa. Vê-se muito bem o Ilhéu de Vila Franca, uma ilhota que tem uma espécie de lago no centro e para onde se pode ir de barco durante a época balnear.

Depois desta vista, deixámos a costa e rumámos ao interior da ilha até ao Parque Terra Nostra, no Vale das Furnas. Um parque que é um verdadeiro jardim encantado.

Consiste num jardim botânico e romântico, com uma casa apalaçada do século XIX – onde chegou a ficar alojado o rei D. Carlos – e um grande e elegante tanque de pedra em frente à casa. Um tanque de águas termais, quentes, onde se pode mergulhar, relaxar, faça calor ou frio cá fora. A água tem uma cor acastanhada e é mesmo dessa cor que fica o fato de banho que se usar… Mas adorámos e recomendamos! No site do Parque pode consultar-se mais informação, incluindo os preços de entrada.

Com o corpo e a mente retemperados, deixámos o Parque Terra Nostra e fomos até ao Miradouro do Pico do Ferro, de onde se tem a melhor vista para a Lagoa das Furnas. Sugerimos fazer aqui uma paragem antes de ir para a Lagoa.

Lá em baixo, ao chegar junto da Lagoa, começam logo a ver-se nuvens de fumo a subir do chão. É ali, numa grande área de terra castanha, que se encontram muitos buracos com águas ferventes e passadiços de madeira de onde se pode ver onde é cozinhado o famoso cozido das Furnas. Nalguns sítios vêem-se buracos na terra vazios, ainda livres para aí se cozinhar, e noutros vêem-se montinhos, por baixo dos quais já está uma panela, tendo normalmente assinalado a quem pertence aquele cozido. Neste dia ao almoço aproveitámos para experimentar este cozido tão típico no restaurante Tony’s (é necessário reservar com antecedência).

Do lado oposto da lagoa vimos à distância o que nos pareceu uma igreja, algo misteriosa. Decidimos por isso dar a volta à lagoa e ir descobrir o que seria. Já estava a escurecer, mas ainda conseguimos ver de perto, por fora, o que descobrimos ser a Capela de Nossa Senhora das Vitórias. Muito bonita. Tem uma história um pouco triste: foi mandada construir no século XIX por José do Canto, que prometeu erigi-la na sequência de uma doença grave da sua esposa.

Por fim fomos ver as Caldeiras das Furnas. É uma zona com caldeiras espalhadas um pouco por todo o lado, fumegantes e muitas delas com água em ebulição. Durante uma parte do ano cozem-se maçarocas de milho nestas caldeiras, que depois se vendem na rua.

Pelas ruas sente-se um forte cheiro a enxofre e há muitos recantos com fontes onde se pode experimentar águas sulfurosas com sabores diferentes.

Regressámos também às Furnas à noite. Como era quase Natal, estava montado um enorme presépio iluminado. Com o fumo que saía das caldeiras era impressionante de se ver, formava um cenário que parecia quase irreal.

E aqui ficam estas nossas sugestões para mais um dia de passeio em S. Miguel, numa zona da ilha onde há muito para ver e experimentar!

Vejam o mapa dos locais que visitámos e não se esqueçam de espreitar os outros roteiros que preparámos para quem visita a ilha de S. Miguel.

Ao adquirir serviços através das ligações abaixo, não terá qualquer custo adicional e estará a ajudar o explorandar a crescer: Alojamento Booking | Alojamento Airbnb | Seguro de Viagem World Nomads. O nosso muito obrigado!